O blogueiro como formador de opinião

O blogueiro como formador de opinião

6 10 99
O blogueiro como formador de opinião 10 6 99

playground

Eu me recordo do dia em que entrei no blog Mundo Tecno, da Cynara Peixoto e me deparei com um banner escrito “Fnac devolva o meu dinheiro”. Nesse post, ela compartilhava com seus leitores a sua dificuldade em concretizar uma compra na referida loja. Li o post, deixei um comentário e decretei: eu jamais irei comprar na Fnac. Inspirada nesse episódio, criei os banners “Telefônica devolva a minha linha” e “Telefônica devolva o meu Speedy”, para que todos saibam o quão irresponsável essa empresa é.

Querendo ou não, nós, blogueiros, somos formadores de opinião. Fazemos parte da mídia e como muito bem escreveu o Cardoso recentemente, blogs não são brinquedos. Tanto isto é verdade, que muitas empresas já perceberam esse filão e estão investindo nos blogueiros mais conhecidos, seja convidando-os para eventos, seja conversando com  eles e apresentando os seus produtos.

blogueiros-microsoft1

Segundo encontro de blogueiros com a Microsoft

Dependendo do blog, de sua relevância e aceitação, o que o blogueiro escrever será tomado ao pé da letra e imitado por milhares de internautas. Já existem até profissionais que ganham a vida como  “olheiros”. São contratados para monitorar na web a reputação das grandes marcas . No seminário INFO sobre redes sociais, esse tema foi exaustivamente debatido. Abaixo, seguem transcrições da palestra sobre o Orkut:

Marcelo Marzola, presidente da Predicta, acrescenta que as ferramentas sociais ajudam a ligar as pessoas, e a marca precisa estar nesse ambiente de forma pró-ativa, mostrando seus valores de forma transparente.

Segundo Manoel Fernandes, publisher da revista Bites, mais que fazer parte de uma comunidade, é preciso ser relevante para os usuários, apresentando bom conteúdo. “O melhor exemplo disso são as próprias comunidades. Às vezes, um espaço pequeno é mais importante que um grande, por causa do conteúdo.”

Fonte: Orkut não é mais só lugar de miguxos

No site do evento, os organizadores foram enfáticos quanto ao impacto das redes sociais na credibilidade de um produto ou marca:

Em vez de ignorar, use o poder das redes sociais e da blogosfera para alavancar marcas e empresas. É lá que os consumidores estão, na mais perfeita expressão da cauda longa. O Rupert Murdoch entendeu tudo três anos atrás e comprou o MySpace. O resto da história você conhece. Decifre já as oportunidades de marketing, relacionamento com os consumidores e monitoramento de reputação que as redes sociais oferecem. Em maio, mais de 380 milhões de internautas passaram pelos sites do Facebook, MySpace e Orkut e assemelhados. E Orkut, você sabe, é do Google, mas é sobretudo dos brasileiros. Fonte:Seminários Info-Redes Sociais

Se um blogueiro sério disser “não comprem na loja X porque ela não respeita seus clientes” certamente eu colocarei a loja X na minha lista negra, como fiz com a Fnac. Supondo que metade dos leitores da Cynara tomaram a mesma decisão que eu, imaginem quantos consumidores essa loja perdeu. Infelizmente, ainda existem empresas que ignoram esses fatos, como é o caso da Telefônica que, por não ter concorrência na maior parte do Estado de São Paulo, nos trata com desrespeito e desdém, demonstrando uma evidente condição de “alienação 2.0”.

Somos pessoas públicas - uns mais, outros menos - e , por isso, somos responsáveis por nossas condutas e posicionamentos na web. Quanto mais conhecidos ficarmos, maior será a nossa responsabilidade. Não podemos agir como crianças fazendo traquinagens. Lembro-me de ter lido, também numa matéria sobre o seminário da Info, a seguinte frase do Manoel Lemos: “Tirar algo da web é tão difícl quanto tirar xixi da piscina”.

Temos força sim, mas devemos usá-la para o bem coletivo e não para nos favorecer única e simplesmente. Muitas profissões foram manchadas - e aqui incluo a medicina - pela falta de caráter e pelo excesso de ambição de alguns profissionais. Chega de corporativismo! Atitudes anti-éticas devem ser comentadas e, se possível, punidas.

Até bem pouco tempo atrás, não possuíamos um espaço para colocar nossas idéias de forma tão abrangente. Então, devemos cuidar bem dele, não fazendo desse espaço um “playground” ou uma vitrine para egos inflados - que escondem, na verdade, personalidades frágeis, com baixa auto-estima e ávidas por aceitação.

Para sermos respeitados, devemos nos dar ao respeito.

 

A quem interessar, o podcast completo do evento encontra-se disponível no site da Info.

Podcast Info-Redes Sociais

 

Referências:

Microsoft: blogueiros são importantes-TechBits

Infoblog no  2 º encontro de blogueiros da Microsoft

Google for Bloggers-Google Discovery

Como foi o 1º encontro de blogueiros com o Google-Undergoogle

29 Comments
Comments
  1. É por isso que tenho o Dicas Blogger como uma das minhas referências principais nesse minifúndio, são artigos de uma sabedoria ímpar de quem realmente sabe o que está falando. Concordo com você em número, gênero e grau. Somos formadores de opinião sim, mesmo aqueles que estão apenas engatinhando nesse terreno, como é o meu caso, é preciso ter responsabilidade e acima de tudo compromisso com nossos leitores. Por isso gosto de incentivar em meu blog toda campanha que visa o bem estar coletivo, é uma forma de manifestar a minha opinião. "As quatro coisas que não voltam para trás: a pedra atirada, a palavra dita (ou escrita), a ocasião perdida e o tempo passado". A frase ilustra bem esse seu artigo. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Realmente Juliana, nós blogueiros temos uma grande capacidade nas mãos, o que é dito por blogueiros famosos e experientes e imitado em toda a blogosfera!
    Arrisco dizer até que um blog chama mais atenção do que um jornal (pelo menos no meu caso).
    Espero pelo dia em que os grandes jornais, larguem a tinta e o papel e comecem a nos pagar (sonho encantado) para forncer nossas matérias a eles.
    E quanto a sua linha telefônica, faça outro pedido no nome de outra pessoa, quem sabe você se encomoda menos. ^^ Mai se quer correr atrás de seus direitos, dê em cima mesmo, pois geralmente eles fingem que se esqueceram de você...

    ResponderExcluir
  3. Juliana,concordo com você em gênero,número e grau.
    Mas me fica uma indagação:"Se eu mudar para a oepradora de tv a cabo de minha cidade que me oferece:tv por assinatura,internet banda larga mais telefone,por um preço acessível.Por quanto tempo o preço realmete será acessível?Até quando posso contar com eles?"Porque já sofri também com assinatura de tv a cabo,já tive que pagar muitoooooo sem utilizar,depois de já ter pedido desligamento,e os aparelhos não serem retirados e depois me dizerem que eu devia e tinha que pagar para retirarem.Peguei trauma.
    Aí fico na dúvida.Mudar sim....Estou louca para isso.Mas para qual???Perdi a fé em tudo.
    E falando em TELEFÔNICA,a mensalidade do speedy aumentou barbaridade e sem aviso.Só vão literalmente "metendo"a mão.
    Se descobrir alguma concessionária aqui em São Paulo relamente boa,me avise por favor.
    Estou de mãos dadas com você.....Vamos nos unir realmente,vamos mostrar à eles quem paga para eles existirem,e que se o governo deixar de ser conivente,abrir para concorrencia,logo logo,as coisas melhoram,e vão implorar para que a gente use seus serviços.
    Me fiz entender?

    ResponderExcluir
  4. Bem, Juliana, infelizmente aqui não vai dar para seguir seu conselho... vamos ter que continuar com a Telecômica!


    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Tenho que Reclamar de uma empresa tbm...
    Samsung Devolva Meu Celular \0/
    Desde Maio mandei meu Celular pra garantia e até hoje nada...
    Uma Palhaçada isso...
    Direto eu ligo lá reclamando, e a história é sempre a mesma...
    ¬¬"

    ResponderExcluir
  6. De fato Jú, enquanto a passividade, a falta de cidadania, o reclamar por reclamar continuar em nossa cultura, as coisas não vão mudar...

    Diz o ditado, cada povo tem os dirigentes que merece, pois quem vota somos nós, e por consequência as leis e a aplicabilidade destas leis (ou a não aplicação das mesmas) não pode ser delegada apenas as autoridades, temos sim que exigir nossos direitos, e creio que um dos meios mais relevantes na atualidade vem a ser a web... Bastante interessante seu post em relação a responsabilidade dos formadores de opinião...

    E a famosa sincronicidade?!!... Dá uma olhada no artigo que eu acabei de ler e ia enviar para você: http://www.consumidormoderno.com.br/canais/no-mundo/o-homem-que-virou-sinonimo-de-201cconsumidor-insatisfeito201d

    Vai que a moda pega... rsrs

    É isso... Vamos ver se a comunidade blogueira se mobiliza e independente dos conteúdos dos respectivos blogs, insiram vez por outra posts que façam os leitores refletirem sobre suas responsabilidades, direitos, denúncias, deveres enquanto cidadãos e principalmente, ética e respeito pelos semelhantes!!!

    Até mais...

    ResponderExcluir
  7. oi juliana.
    Pena que o setor de telecomunicações nao adianta ne?
    pode juntar, voce, essa cynara, todo os blogs mais famosos e criticar que continua da mesma forma.
    Eu costumo ir pela minha cabeça...mas se me falam que determinado loja ou local nao atende bem, eu passo longe.

    ResponderExcluir
  8. Acho que acima de tudo temos que passar qualquer coisa que for vista na blogosfera por um filtro:
    -É verdade?
    -Aconteceu com mais alguém?
    -É relevante?
    Pois se não a coisa fica complicada, por exemplo eu nunca tive problemas com a Fnac e não é por que UMA pessoa entre MILHARES teve UM problema com ela que eu vou deixar de comprar lá, entende?
    Não estou atacando os blogueiros, estou apenas dizendo que devemos ter a nossa própria opinião e não a opinião de um Blogueiro.
    Claro que se eu nunca tivesse comprado na FNAC poderia pensar em não arriscar o meu dinheiro, mas é claro pediria uma segunda opinião ;)

    PS: Usei a fnac como exemplo não estou querendo criticar a blogueira que teve problemas com a FNAC =D, apenas mostrando a importancia de uma opinião própria.

    ResponderExcluir
  9. Nem tenho mais o que acrescentar... VC arrasou Jú!

    ResponderExcluir
  10. Ótimo artigo. Temos que valorizar os espaços que dispomos para opinar e mostrar nossas idéias e indignações.

    ResponderExcluir
  11. Ah, enviei esse artigo para o diHITT, ok?

    ResponderExcluir
  12. tutorunopar, em primeiro lugar quero dizer que visitei o seu blog e gostei muito do seu trabalho.Obrigada pelo coemntário e adorei a frase. Bjs

    Blogueiros Unidos,nossa responsabilidade é maior do que pensamos. Quanto a linha, vou continuar correndo atrás dos meus direitos. O que eles fizeram merece punição. Bjs

    utp-critikear,quem usa a NET reclama bem menos. Esta é a minha dica. Pena que aqui não tem. Bjs

    Mestre Blogger, aqui tambem. Bjs

    Tio dos filmes,procure o Procon. Foi o único local onde encontrei ajuda de verdade. Abraços

    ResponderExcluir
  13. Fernando!
    Que texto bacana!
    Até lá nos States a coisa é complicada...e você sabe que eu gravei várias das minhas conversas com a telefônica? Acho que vou editar e publicar...vale a pena...rss
    Adorei o seu comentário.Abraços

    Iara, nem me diga!
    Como estamos nas mãos deles né?
    Mas um dia esta ditadura irá acabar.
    Abraços

    Elias,
    Eu citei o caso da Cynara pq eu jamais havia comprado na Fnac e como ela relatava uma verdadeira "enrolação" por parte da loja, de cara desisti de ser uma usuária da Fnac.
    Esta é a vantagem dos setores que tem concorrência. Eu sempre usei a Submarino e a Saraiva; eu não precisava da Fnac.
    Mas se amanhã aparecer alguém falando mal da Submarino, por exemplo, vou ficar atenta. A voz do povo, é a voz de Deus.
    Antes de realizar qualquer compra grande, eu pesquiso no Google sobre a marca.
    Abraços

    JNeto, obrigada!

    Alcione, obrigada pelo comentário e pela indicação no DiHITT. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Juliana:
    Concordo com o que vc disse. Adoro seu blog os seus textos. Este então está muito bom . Parabéns.

    Sabe, o serviço de telefone aqui era uma porcaria. Então a Oi veio para a Bahia e comprou a companhia, que nem me lembro mais que nome tinha. Não serve de consolo, mas pelo menos, a Telecômica, como disse o comentador acima, não vai mais ficar sózinha.


    Vou colocar um link seu no blog Linha.

    ResponderExcluir
  15. Olá Juliana, tudo bem?
    Sei que não tem muito a ver com o assunto, mas uma frase sua no Contraditórium me incomodou.
    Leia o texto que você publicou aqui e veja se ele deve alguma coisa para os textos do Cardoso.
    Repare nos comentários que tem em seu blog e veja se eles não são relevantes para seus leitores tanto quanto os do Cardoso são para os leitores dele.
    Como deixei nos comentários lá, você não tem que se sentir incomodada por estar com o ranking melhor que o dele, afinal são segmentos diferentes, leitores com interesses diferentes.
    Você tem tanta competência quanto e não acredito ser correto dizer que ele é melhor no que faz, apenas tem mais tempo na blogosfera e já se dá ao luxo de viver de blogs, você faz este trabalho maravilhoso apenas nas horas livres e já esta onde está.
    Isto é capacidade, competência e ter relevância.
    Garanto que ninguém linkou seu blog porque você é boazinha, linkaram por ser importante, por ter conteúdo e por gostarem da maneira como você escreve seus textos e comentários.
    Você é uma das pessoas que pode dizer em alto e bom som que chegou onde chegou por mérito próprio e não tem o porque se sentir incomodada por ter competência para fazer bem feito o que está a fazer.
    Um grande abraço
    Giba

    ResponderExcluir
  16. Olá Juliana!!
    Excelente artigo! Gostei também da cobertura os eventos, que destaco deveriam ter um custo mais acessível, considerando o número expressivo de pessoas que se interessam pelo assunto, estudantes, e pessoas de baixa renda. Estamos na era a inclusão e qualquer evento que tratede comunicação, de rede social, de Info, deve levar issso em consideração, assim como disponibilizar em tempo real o evento para que todos possam participar de alguma forma. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  17. Anny, obrigada.
    Por aqui, até o momento, a Telefônica comanda.
    É uma pena. Bjs

    Giba, obrigada mesmo por me colocar no mesmo nível do Cardoso.
    Eu sou muito exigente comigo mesma e sempre acho que estou fazendo menos do que eu deveria.
    Por isso eu escrevi que nã me sentia confortável na frente dos pioneiros da Blogosfera.
    Confesso que batalhei bastante e fico feliz com o reconhecimento dos meus leitores.
    Beijão!


    Margareth, seja bem vinda!
    Realmente os custos desses eventos são altíssimos. O legal é que eles disponibilizaram o áudio prá quem não pode ir. Bjs

    ResponderExcluir
  18. Os blogues fazem parte da mídia e a credibilidade de um blogueiro é demonstrada pela qualidade de seus leitores. Cada um procura por sua turma, por isso não é bom classificar blogues bons e blogues ruins. Afinal, existem várias blogosferas dentro da blogosfera brasileira. Se não gostamos de um blogue, não o lemos mais, é simples. Temos escolha. No caso da telefônica, não há escolha e estão todos sujeitos à ela - Não sei onde foi parar a lei anti monopólio (ou sei?) e brigar contra a Telefônica no atual governo é besteira, explico:
    Não faz muito tempo que a telefônica Oi, quando se chamava Telemar em 2005, investiu R$ 5 milhões na empresa Gamecorp, que entre os sócios figura Fabio Luiz Lula da Silva, filho do presidente da República. O grupo Andrade Gutierrez, um dos controladores da Telemar-Oi, foi o maior doador de recursos para o PT na campanha presidencial de 2006. O outro grande controlador da empresa é o grupo La Fonte do empresário Carlos Jereissati. Serão os controladores da poderosa “Supertele”, que será criada com o nome oficial BrOi. Na Telemar, o acionista majoritário é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Somando a participação dos Fundos de Pensão das estatais a telefônica Telemar-Oi tem maioria de participação acionária não privada.
    Chama a atenção o montante de investimentos dos grupos privados Andrade Gutierrez e a La Fonte na reestruturação da Telemar Participações que controla a telefônica Oi. A compra da Brasil Telecom pela Telmar-Oi será alavancada em operações garantidas por empréstimos de instituições estatais. A Embratel, concessionária de longa distância, questiona a venda da Brasil Telecom para a Oi. Ajuizou recursos à Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça questionador à tese da criação da BrOi.
    Pela legislação vigente, a telefônica Oi (antiga Telemar) não pode comprar a Brasil Telecom. O Plano Geral de Outorgas estabelece regras para o setor, impedindo que uma concessionária compre outra que opera a telefonia em região ou área diferente. Para o negócio de concretizar, o governo Lula teria de mudar o Plano Geral de Outorgas, baixando decreto modificador da proibição. A pergunta é objetiva: qual a razão do governo brasileiro se empenhar na formação da nova empresa, gerando monumental concentração do mercado e reduzindo a concorrência na área da telefonia? Trata-se, portanto, de indiscutível promiscuidade que envolve o governo federal e empresas privadas na constituição da supertelefônica BrOi.
    É pouco para eles, querem as TVs também!

    Ju, veja este blogue - http://anti-telefonica.blogspot.com - pensei até que fosse seu!! (rs*) - Matéria sobre as fraudes dos provedores - http://anti-telefonica.blogspot.com/2007/09/segunda-maior-fraude-contra-o.html

    Desculpe o comentário gigante e sobre rankings e tals. O atual e antido do BB estavam errados não? Existem somas de fatores que elevam e sustentam a vida de um blogue, como o número de acessos e assinaturas de feeds que comprovam o acato ao conteúdo pelos leitores. Os leitores mandam! Medir a repercussão somente entre blogues, através de links, dentro de um esquema fechado, é ter visão curta do processo e não saber medir a amplidão dos meios de comunicação.

    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderExcluir
  19. Pois Juliana, eu vou te dizer que a Telefônica e o Speedy também são meu maior pesadelo. Quando dá problema na linha ou na conexão, lágrimas de vem aos olhos.

    Ô empresinha ruim de serviç! Os atendentes não sabem te ajudar. A mocinha repetitiva da gravação está sempre feliz (o que enche qualquer um que já está puto) e os técnicos...nem vou falar nada.

    Entre final do ano passado e começo desse ano - sem brincadeira - vieram mais de 10 vezes aqui intercalando o técnico da Telefônica que deveria chamar-se TeleAfônica e o do Speedy (que muitas vezes é Slow e até Stop)um dizia que o problema era do outro.

    Também concordo com relação à responsabilidade que nós blogueiros temos dentro dos temas que tratamos em nossos blogs.

    Sinto isso diariamente quando o assunto é gastronomia em geral, foco do meu Cuecas na Cozinha.

    bjs e parabéns pela coragem do post

    Alessander Guerra
    www.cuecasnacozinha.com

    ResponderExcluir
  20. Belo texto, Juliana! Essa é uma questão que deve ser difundida e discutida bastante (e ainda vai dar muito pano pra manga).
    A internet é uma realidade que veio pra ficar e os blogs são uma importante ferramenta para produção, troca e divulgação de informações. Esses dias li uma matéria no site "Observatório da Imprensa" em que era feita a discussão sobre o quanto podemos confiar nas informações dos blogs e se colocava a seguinte questão: Blogueiro é jornalista? Não acho que os blogueiros vieram para tomar o lugar dos jornalistas, mas negar seu papel de formador de opinião é negar a própria influência que a internet tem na vida das pessoas.

    ResponderExcluir
  21. Eu odeio o 15, obrigada.
    Tenho acompanhado o seu blog, Está ótimo!
    Abraços
    PS: Eu também odeio o 15!!!

    Luminha, bom te ver por aqui.
    Eu tenho acompanhado essa promiscuidade do governo com as teles.
    Pelo que eu li na Veja, até a fusão da Oi com o Brasil Telecom, o Brasil estava dividido entre uma empresa mexicana, controladora da Claro e da Embratel e uma empresa espanhola, dona da Telefônica.
    Essa fusão só seria interessante se acabasse com o monopólio da telefonia fixa em alguns estados, como é o caso de SP. Mas não. Pelo visto, por aqui, continuaremos reféns da megera.
    Sonho com o dia em que, o Livre da Embratel + o 3G da Claro,chegarão a minha cidade. Será o meu divórcio definitivo com a Telefônica.
    Os mexicanos mandam bem melhor.Sou cliente da Claro desde que a mesma se chamava Tess, e estou muito satisfeita.
    Quanto ao ranking, sem dúvida que contabiloizar somente links é falho, mas nada justifica aquele oba-oba, né.
    Beijão!

    Alessander, comigo ocorre o mesmo. E dessa vez, chorei várias vezes com o descaso e a desoganização dessa empresa.
    Agora, ainda nesse mês, nos encontraremos em um tribunal. Eu já sofri muito e agora quero ser ressarcida por toda essa humilhação.
    Prometo um post contando tudo e dando dicas de como resolver problemas com a Telefônica.
    Assim que eu estiver em uma conexão digna, visitarei seu blog.
    Abraços

    Douglas,belo comentário. Não há mais como negar a influência da Blogosfera na web. Abraços

    ResponderExcluir
  22. Disse tudo doutora! A gente não pode andar às cegas, sem compreensão e responsabilidade. Quando nos jogamos na "rede" seremos pescados e alguem vai nos engolir. Que sejamos saudáveis e não indigestos!

    ResponderExcluir
  23. Olá Juliana, tudo bem?

    Nossa! Estava inspirada hein! Seu texto ficou excepcional, parabéns.

    Realmente a blogosfera, se não tomarmos cuidado, se tornará um parquinho de mixugos trocarem scraps. Um playground como bem disse.

    Devemos usar nosso poder de formar opinião para o bem, não para destruirmos patrimônios, pessoas ou imagens.

    Forte abraço e sucesso,
    Não esqueça de dar uma passadinha em meu blog, linkei você hoje entre os 10 blogues que merecem respeito.

    At,

    ResponderExcluir
  24. Não me agrada essa idéia de o Blogueiro ser "formador de opinião". Se já não bastasse boa parte dos meios jornalisticos tradicionais vender "gato por lebre", seja sob o ponto de vista ideológico, seja o comercial.

    Efetivamente, seria muito bom que a internet, um dos meios de comunicação mais democráticos e livres existentes (já existiu algum realmente livre?), fugisse dessa linha costumeira. Aliás, seria um favor à humanidade.

    De qualquer maneira, não é raro o blogueiro expor sua idiosincrasias em suas páginas, o que, não é nenhuma heresia, já que todos nós estamos sujeitos a isso. O problema é quem as lê. Teria o brasileiro médio condições de filtras "idiosincrasias levianas"?

    Na verdade, passamos os últimos cinquenta anos comendo e bebendo o que a mídia nos impôs, especialmente, por meio da televisão, de maneira que, a tanto, a força da internet, nessa campo, chega a ser assustadora. Os mitos da internet são incontáveis, como se sabe; se amanhã, um internauta dizer que "comer vidro" é bom, não é difícil a moda pegar. Estou usando essa figura de linguagem para demonstrar o quanto é perigoso essa coisa de "formar opinião". Ah, vamos dizer: - cabe ao leitor filtrar o que é bom e o que é ruim na web; mas, aí que está o problema: para fazer essa filtragem é necessário conhecimento prévio, melhor dizendo, um razoável nível de discernimento, senão corre-se o risco de ser envenenado pela coral verdadeira.

    Sem dúvida, há gente bem intencionada na web, mas, de boas intenções, para utilizar o batido jargão, o inferno está cheio.

    O ponto de vista externado na presente postagem é louvável, mas, para pessoas esclarecidas, porque boa parte dos usuários da internet mal consegue interpretar texto contendo a uma mísera linha apenas.

    De fato, o brasileiro, em geral, não consegue entender um texto simplório; aí é que mora o perigo. Vamos formar a "opinião" dessas pessoas, no bom sentido, ou vamos impor idéias "goela a baixo"?

    Não, não, nada dessa coisa de "formar opinião", com todo respeito à opinião que V. Sas. lançou nessa postagem.

    ResponderExcluir
  25. Oi Juliana, voltei para dizer que ontem (segunda-feira) entrou em vigor a Lei que regulamenta o atendimento nos call centers, decretando o fim do jogo de empurra, das constantes repetições do problema e das horas a fio ao telefone, sem que haja uma solução. Acho que agora você terá o respaldo necessário. Dê uma espiadinha na matéria: http://www.uai.com.br/UAI/html/sessao_4/2008/12/01/em_noticia_interna,id_sessao=4&id_noticia=90267/em_noticia_interna.shtml

    ResponderExcluir
  26. Juliana, eu vejo hoje que os blogs não são apenas formadores de opinião; estamos além disso. Ao contrário de um leitor meu que se diz doutor em Letras, mas diz que "blogs não acrescentam nada e são meros repetidores de besteiras", o que se percebe hoje é que esse novo meio de comunicação tem servido muito bem até mesmo para fins educacionais _ e eu tenho pesquisado profissionalmente sobre isso, daí ter criado aquele outro blog recentemente.
    Nós, blogueiros, temos uma liberdade de expressão que os grandes jornais não têm, apesar de vivermos em um país democrático. Escritores estão publicando suas obras nesse meio; acadêmicos têm publicado o resultado de suas pesquisas em blogs. Isso é evolução: há muito tempo o blog deixou de ser diário de adolescente para ser usado como algo útil. Um abraço! Andréa Motta

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Caso esteja com dificuldades com seu blog, abra um tópico no Fórum de Ajuda do Blogger que nós iremos te ajudar a resolver.


Os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;

 
Dicas Blogger© 2007-2015 | Todos os direitos reservados | Design By Duy Templates
Top